TEF Talks: casa cheia para uma manhã de aprendizagem dedicada ao Ensino Profissional

  • Publicado em May 10, 2024

Quando o assunto é a entrada no mercado de trabalho, é natural que surja, muitas vezes, a pergunta: e agora? Foi ela que guiou cada uma das Talks de Educação Financeira, realizadas a 7 de maio na Fundação António Cupertino de Miranda. O evento foi dedicado aos alunos do Ensino Profissional que integram o projeto Por Tua Conta, procurando guiar o início da sua vida ativa.

Na sessão de abertura, Inês Abreu, Administrador Executiva da Fundação António Cupertino de Miranda, deu as boas-vindas às escolas, salientando que “não há dúvida de que o dinheiro nos traz conforto e que nos permite atingir muitas das coisas que nós queremos, mas é fundamental fazer uma boa gestão dele”. “Vai haver um momento nos vossos percursos em que se vão lembrar do que vão ouvir aqui hoje, e essa é a razão deste projeto: dar-vos ferramentas que vão precisar ao longo de toda a vida”, acrescentou.

Foram estas as palavras que deram início às TEF Talks, que contaram com casa cheia: mais de 350 alunos do Ensino Profissional e respetivos professores. Em comum, todos têm a participação no Por Tua Conta, que alia a capacitação financeira à preparação da entrada no mercado de trabalho.

Aguçada a curiosidade, seguiram-se as palestras orientadas pela PwC Portugal, consultora parceira das TEF Talks e de outras iniciativas da Fundação.

O primeiro “e agora?” do evento surgiu com a sessão “Terminei de Estudar. E Agora?”. Catarina Carnaz, PwC Internal Communications Senior Manager, liderou esta Talk e aprofundou os principais temas relacionados com a entrada no mercado de trabalho. Sobre a elaboração do currículo, os alunos puderam aprender quais as informações relevantes a incluir, como tirar uma fotografia de cariz profissional, a diferença entre um currículo e uma carta de apresentação e em que situações irão precisar de cada um destes documentos.

A Senior Manager da PwC explicou também o passo a passo para a preparação de uma entrevista de emprego, destacando a importância da pontualidade, da pesquisa prévia sobre a empresa e a vaga e da preparação de possíveis perguntas que o empregador possa colocar. “A primeira impressão é fundamental e muito difícil de contrariar, por isso, tenham também cuidado com a forma como se apresentam. Independentemente do estilo que adotem no vosso dia-a-dia, é muito importante adaptarem-se ao contexto”, acrescentou a oradora.

Com o propósito de esclarecer os direitos e obrigações dos alunos no início da sua atividade profissional, fez-se seguir a sessão “Vou Trabalhar. E Agora?”. Ana Carvalho Reis, PwC Tax Senior Manager, começou por alertar: “com a entrada no mercado de trabalho, vão começar a ter o vosso próprio rendimento, as vossas despesas, e o objetivo é saber o que fazer de modo a otimizar o dinheiro que receberem”.

Qual a diferença entre um trabalhar dependente e um trabalhador independente? O que é o rendimento bruto e o rendimento líquido? Quais são as minhas obrigações fiscais? O que é o IRS Jovem? Foram estas as temáticas abordadas ao longo da sessão, que terminou com um quis interativo em que as turmas do Por Tua Conta tiveram a oportunidade de consolidar os conhecimentos adquiridos durante a palestra.

Para terminar, o auditório da Fundação António Cupertino de Miranda recebeu Bento Amaral, uma referência na área da enologia em Portugal e no estrangeiro, mas também um exemplo de coragem e determinação - princípios que motivaram este convite e que foram transmitidos aos mais jovens durante a sessão “Tudo Parece Impossível. E agora?”.

Após relatar o acidente que o levou à tetraplegia e de contar que, nos meses que se seguiram, a decisão mais fácil teria sido desistir, revelou a forma como conseguiu, aos poucos, aceitar e abraçar as circunstâncias da sua «nova vida». “Tudo tem uma parte de dificuldade. Tudo tem uma parte de sofrimento. Se recusamos isto, não conseguimos acolher a nossa vida como ela é”, acrescentou o ex-campeão do mundo em vela adaptada.

Esta sessão terminou com uma mensagem de esperança e de inspiração: “se pudesse, com um estalar de dedos, voltar a andar, não recusava. Mas também compreendo que tenho tido uma vida muito rica, nos últimos 30 anos, estando numa cadeira de rodas. Faz-me perceber que, depende de cada um de nós, de cada um de vocês, serem felizes”.

A felicidade estaria também bem presente no momento que fechou o evento. Em palco, foi revelada a surpresa: o anúncio do grande vencedor nacional da 2.ª edição das Olimpíadas de Educação Financeira do Por Tua Conta. A sala aplaudiu a turma 11º AGD da Escola Secundária António Nobre, no Porto, que subiu a palco para receber o merecido prémio pela sua conquista.

Obrigado a todos os que marcaram presença neste evento! Esperamos vê-los em próximas iniciativas que nos permitam continuar a levar mais longe a literacia financeira.